Skip to Content

Michel Temer e Ricardo Izar visitam o Líbano

Copyright © 2011 Icarabe.org

Em 21 de novembro, o Conselho de Cidadãos de Brasileiros (CCB) Líbano encontrou o vice-presidente Michel Temer, em um café da manha no Hotel Phoenicia, Beirute. Na ocasião, o cônsul-geral e presidente do CCB, Renato Menezes, acompanhado do cônsul-geral adjunto Luiz Eduardo Villarinho Pedroso e do cônsul-geral adjunto Gustavo Barbosa,  apresentou as atividades do Consulado Geral do Brasil e do CCB. A atividade contou com a presença de Roberto Khatlab,  secretario executivo do CCB e Conselheiro titular do CRBE - Conselho de Representantes dos Brasileiros no Exterior,  apresentando suas as atividades.

O CCB é um fórum criado pelo Consulado-Geral do Brasil em Beirute, em novembro de 2009, para o trato de temas de interesse da comunidade brasileira residente no Líbano com sete representantes: Beirute e região sul do Líbano, Najua Bazzi e Roberto Khatlab; Vale da Bekaa, Khaled Haymour; Monte Líbano, Osmar Charaffedine e Ramez Labaki; e Região Norte, Edgar Harb e Joseph Romanos.  Os encontros têm participação de outros brasileiros que dirigem atividades comunitárias no Líbano. Entre os projetos está o desenvolvimento do Grupo Alecrim (www.alecrimbrasil.org) para conservar as tradições brasileiras junto à comunidade infantil e que já tem dois núcleos no Libano, Baalbeck e Bar Elias, coordenados por uma das fundadoras na Bélgica, e agora residente no Líbano, coordenadora geral Katcha Osório.
 
O vice-presidente inaugurou, em 20/11, um centro comercial, o "Prime Center”, em Chtoura, Vale da Bekaa, empreendimento do Grupo Zoghbi (Hussein, Mohammad, Ali e Ibrahim Zoghbi, líbano-brasileiros de São Paulo, que decidiram investir no Líbano e criar um ponto de referência de produtos brasileiros para desenvolver o comércio entre os dois países. Neste centro, foi inaugurado também o "Espaço Brasil", que o Grupo Zoghbi disponibilizou ao Consulado Geral do Brasil e ao CCB para a realização de encontros com brasileiros, entre eles o grupo Alecrim. OVale da Bekaa é a região onde reside a maior parte da colônia brasileira no Líbano. Calcula-se 10 mil líbano-brasileiros "brasilibaneses" em todo o país.  Mais de 200 brasileiros participaram do encontro em Chtoura para prestigiar o VP Temer.
 
Ainda no  encontro com o Temer, Roberto Khatlab, secretário-executivo do CCB, entregou em nome do conselho  uma placa de homenagem ao vice-presidente, que ficou satisfeito de encontrar-se com os brasileiros presentes. Com esta visita, os laços de amizade entre os dois países tendem a se desenvolver ainda mais em diversas áreas.
 
Membros da  delegação  que acompanhou o vice-presidente Temer visitaram, em 23/11, o Centro de Estudos e Culturas da America latina (Cecal) da Universidade Saint-Esprit de Kaslik (Usek - www.usek.edu.lb ). Fizeram parte do grupo o deputado federal Ricardo Izar Junior, Presidente  do grupo parlamentar Brasil – Líbano; o Prefeito de Juquiá, Mohsen Hojeij; e os empresários Antoine Chahin, Antoine Chedid e Eduardo Macedo. A finalidade  da vista foi desenvolver os intercâmbios acadêmicos  entre o Líbano e o Brasil. A delegação foi recebida pelo presidente da Usek, P. Hady Mahfouz; pelo diretor do Cecal, Roberto Khatlab; pelo decano do Instituto de História e Arqueologia, P. Jean Maroun Meghannes; e outros da diretoria da Usek. Esteve presente também o Bispo Maronita no Brasil, Dom Edgar Madi. O presidente da Usek ofereceu ao deputado Ricardo Izar Jr. uma medalha da Universidade em nome da amizade Líbano-Brasil e do interesse do Cecal-Usek em estreitar cada vez mais os contatos com a comunidade libanesa e descendentes residentes no Brasil.

A Usek fica à disposição dos brasileiros que queiram estudar no Líbano, que não precisam necessariamente saber a língua árabe, já que grande parte dos cursos é em francês e/ou inglês. Além disso, estando no Líbano poderão aprender o árabe. O encontro foi marcado por sugestões de como incrementar o intercâmbio acadêmico Brasil-Líbano, cuja base é a nova geração dos dois países que pode fortalecer vários campos do saber.
 

Compartilhe e divulgue!
ICArabeInstituto da Cultura árabe (da redação)

Comentários

Comentar